quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

O Pulôver Amaldiçoado

Ignora esse tiozinho da foto

Roberto era um menino feio, aliás, feio era elogio para aquele garoto. Era baixinho e obeso, tinha apenas dois dentes na boca e ambos eram cariados, a pele não podia ser vista por causa das espinhas, cravos e berrugas que cobriam o corpo todo (inclusive suas partes intimas) o cabelo era tão oleoso, que derramava um liquido sujo e gosmento por onde ele passava. Roberto fedia a ratos mortos, esgoto e queijo parmesão vencido. E não havia ninguém, que conseguia olhar para a beleza interior do garoto, portanto ele andava sozinho pelas ruas vazias da cidade aonde morava.
Não pense você que este é um texto que vai falar sobre como o ser humano prioriza a aparência e de como deveríamos olhar além disso. Não pense você que este texto é uma história de amor e que vou falar de alguma menina linda que se apaixonou por Roberto. Não, senhoras e senhores, não vai ser um texto assim.
Desesperado, a aberração que caminhava pelas ruas, resolveu pedir a ajuda de um macumbeiro. O macumbeiro era um velho magrelo e enrugado, feio pra caramba, e até ele se assustou ao ver a figura horrenda a sua porta.
- Preciso de sua ajuda Velho Poapá.- disse Roberto.
- Você precisa é nascer de novo garoto.- disse o velho assustado, mas acabou deixando o garoto entrar. – Conte-me o que quer resolver, que te passo a mandinga certa.-
- Tenho dezoito anos e as pessoas tem nojo de mim, abandonei a escola na quinta série porque não agüentava as gozações, sou burro. Sou virgem e nunca beijei uma garota, nem no rosto, nem na testa, nem na mão, nunca! Não arrumo emprego e vivo como um mendigo, os mendigos tem dó de mim. Moro sozinho e as crianças quando chutam a bola pro meu quintal, tem medo de ir lá pegá-la. As pessoas me confundem com um monstro e nem meus pais querem mais me ajudar e...-
- Cala a boca praga dos infernos! Sua voz está machucando os meus ouvidos! Vou pegar a mandinga!-
O velho voltou minutos depois com um pulôver preto e entregou a Roberto.
- Tome um copo de suco de beterraba com urina de um cachorro alegado e deite-se usando esse pulôver, amanhã seus problemas terão acabado. Você deverá vestir o pulôver de cinco em cinco horas e ficar com ele por duas horas, ou as coisas voltarão a ser como eram. Mas, tome cuidado, eu não sou a Fada Madrinha da Cinderella, você veio em um macumbeiro!-
Roberto ficou animado e pegou o pulôver que o velho estendia com as mãos enrugadas e saiu correndo para casa. Bateu no liquidificador o suco de beterraba com a urina do cachorro alegado que encontrou em um beco, bebeu, vestiu o pulôver (mesmo com os 40º lá fora) e dormiu.
Acordou com duas mulheres lindas ao seu lado. Uma loira e uma morena, ambas estavam nuas e uma delas estava com a mão aonde não devia, se assustou, não se lembrava do que tinha acontecido, mas quem via a cena não precisava ver o que aconteceu antes (lembrando que esse blog é destinado ao publico adolescente, que eu tenho catorze anos e não vou entrar em detalhes, obrigada). Pulou da cama, se olhou no espelho e estava lindo!
A pele lisa e perfeita, o cabelo lindo e um cheiro delicioso de perfume, Estava alto e o abdômen dividido. Lembrou-se de que tinha que usar o pulôver de cinco em cinco horas por duas horas e vendo que já era meio dia, e não sabia quando “aquilo” tinha acontecido, ele vestiu o casaco de lá com abertura no pescoço que se veste pela cabeça.
Roberto agora saia pelas ruas confiante, todos o admiravam e o achavam lindo. As mulheres grudavam nele, os pais tinham orgulho e ele era muito inteligente. Isso durou dois meses. Dois meses aonde ele tirou o atraso e pegou todas as meninas bonitas da cidade, aonde ele passou em dez vestibulares e pousou nu para cinco revistas (ele tinha que ganhar dinheiro).
Um dia, dadas as cinco horas, colocou o pulôver e foi até a casa do velho macumbeiro para lhe agradecer e levar um presente. Estava na rua de baixo da casa e sentiu um calor que lhe subia por todo o corpo e arrepiava todos os pelos do seu corpo, involuntariamente tirou os sapatos, as meias, a calça e a cueca, estava vestido apenas com o pulôver. As pessoas fizeram uma roda em volta dele, as mulheres grudando os olhos aonde não deviam e os homens vaiando, o chamaram de louco e uma senhora chamou a policia, Roberto mal escutava. De repente, sentiu um frio exagerado, se encolheu, sentou no chão e começou a tremer. Mais pessoas juntavam em volta.
Não conseguia mais controlar os seus movimentos. Amarrou os braços em volta do abdômen, até perder a respiração. Se esmurrou, se mordeu arrancando a própria pele, se arrastou pela rua de asfalto e esfolou o corpo até sangrar. Se enforcou e morreu. Morreu ali, no meio da rua, com as pessoas em volta o achando louco.
O velho macumbeiro soube e foi até lá, tirou o casaco e levou pra casa. Tinha avisado que não era a fada madrinha da Cinderella e Roberto com certeza já tinha ouvido falar que felicidade dura pouco. O Velho Poapá agora guarda o pulôver mágico para outra pessoa insatisfeita com a vida, se alguém quiser o endereço dele, é só pedir nos comentários e saibam desde já que esse blog não se responsabiliza pelas conseqüências dos seus atos.

---------------------------------------------------------------------------------------------

Esse foi provavelmente, o texto mais estranho que eu já escrevi, mas tudo bem! Também ninguém manda o louco do Henrique em passar como tema, pulôver, mas ele sabe que eu amo ele e vai ser mais bonzinho da próxima vez né?

Bem, a gente meio que combinou que tudo que o Henrique fizer de mal comigo eu vou fazer pior com o Japa e assim em diante, então o tema do Japa vai ser muito simples: Stripper. Boa sorte!

Beijos a todos vocês e volto na quarta!

- Marcella Leal

10 Tensos passaram por aqui.:

Ariel Augusto ( Japa ;P ) disse...

Um misto de Comédia e terror ;D

Ah , Stripper ? .. tenso

Gily Lima disse...

adoroo contos... principalmente esses q nos deixam confusos!
vc escreve super bem,
tô te seguindo, e se der passa lá!

Ninaaa . disse...

ahahahaha, adorei \o/
nada mais a declarar, bjs

Ninaaa . disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thamara disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk. mas ele pelo menos tirou o atraso !
pulôver - casaco de lã que se veste pelo pescoço :D bom saber hehe.

Henrique Miné disse...

err, sem zoeira,

Eu acho que você anda lendo o Blog do Rafael demais, haah..

putamerda! Depois é eu que sou doente com os meus coelhos fofinhos.

Me surpreendeu dona Marcella, haha, gostei! De verdade! *-*

beeeeeijos.

Yasmin F. disse...

adoreii a históriaa!! HAuAHuAHau -

Você precisa é nascer de novo garoto.- disse o velho assustado.

kkkkkkkkkkkk

mto boa!!E realmente nada é de graça!
=*

Calem-se Dedos ! disse...

porq meu coment sumiu daki ? ;OO
UIAOUEOAIUEOAIUEOIUEOIAE
ameeei flooor'
õ/
doida pra ver o do japa' haha

beijo :*

MILENA R. disse...

HaHa' adorei o texto, muito engraçado e com certeza tenso
O layout tá muito legal, gamei no Freddie *-*'

Isabela Costa Santos disse...

Oh não, obrigada! Não vou querer o endereço dele não... =P
SKPODSKPOSD'
Muito bom!
Achei diferente do que você costuma escrever no Cabelo Cor de Rosa... e quer saber? AMEI! Amo os dois jeitos! \õ

Beijos