terça-feira, 23 de março de 2010

Com certeza não foi isso que Jussara sonhou para a sua vida, mas ela não tinha papais ricos, heranças para receber e muito menos capacidade para fazer outra coisa. A vida todo foi dedicada a ser frentista do posto de gasolina e já tinha se acostumado tanto que se atrapalharia fazendo outro serviço.
Era uma mulher bonita, mas não sabia se arrumar. Tinha a auto estima baixa e a vida sofrida, nenhum homem a olhava a não ser para ofendê-la. Até que um dia, seu patrão a chamou e disse.
- Jussara, vou te mudar de setor, agora você trabalha no lava jato.-
- Mas, seu Maical Gequisón, eu não sei trabalhar lá.-
- É fácil, o Lusívildo vai te ajudar. LUSÍVILDO,CHEGA AQUI- e o homem chegou correndo ao escritório do patrão e Jussara, pela primeira vez na vida se sentiu atraída por alguém. Ela arrumou o decote do uniforme, cuspiu na mão disfarçadamente e passou ela no cabelo, fez cara de sexy para ele.
- Pois não seu Maical Gequisón?-
- Rapaz, essa é Jussara, você vai treinar ela pra trabalhar no lava jato.-
- Será um prazer.- disse Lusívildo olhando para a blusa de Jussara. Ele era forte, tinha o cabelo loiro oxigenado e a pela morena suada, e usava um uniforme bem colado pra fazer de conta que era mais forte, era lindo pra alguém que nunca viu um salão de beleza e só tomava banho aos sábados para não acabar com a água do planeta.
Os dias se passaram e durante o treinamento os dois foram se conhecendo melhor e Jussara passou a se arrumar para ir trabalhar. Lusívildo também passou a se arrumar mais e ele tirava a blusa quando ela ficava molhada, claro, porque é ruim a blusa molhada colada no corpo e não porque a barriga dele tinha seis divisões.
Um dia quando o lava jato ficou vazio, pintou um clima muito árduo entre os dois.
Jussara estava guardando uns pneus e abaixava toda hora e ele de longe a olhando, foi quando ele entrou na casinha de guardar pneus e fechou a porta.
- Foi o vento.- ele disse e ela se assustou, virando-se para ele.
- Nem vi você entrando, tava aqui pensando sobre pneus.- ela disfarçou.
- Pensando o que?-
- Quando eu era pequena, eu sempre sonhei em apostar uma corrida dentro de um pneu.-
- Quando eu era moleque, eu sempre sonhei em fazer sexo dentro de um pneu.-
Os dois riram e resolveram sair dali, pois não queriam ser despedidos, mas a porta da casinha não abria, e foi ficando quente, muito quente, e só tinha uma janela minúscula e o vento nem esfriava todo o ambiente.
- Jussara, realiza meu sonho?-
- Minha religião não permite.- ela falou.
- Não permite?- ele tirou a roupa. – Tem certeza que não permite?-
Como tava quente, ela tirou a roupa também. Como ela era uma pessoa boa, ela realizou o sonho dele.


---------------------------------------

EU TENTEI ACHAR UM JEITO DE NÃO POR SEXO NO MEIO! EU JURO QUE TENTEI! EU VOU PARAR COM ISSO, DAQUI UNS DIAS O BLOG SAI DO AR POR DENUNCIAS CONTRA MIM.

Henrique,te vira:
Tema: Unicórnio babão
Frase: Se você não gosta de peixe, então porque você pesca todo final de semana?




Fiquem na paz da alegria minhas espiguinhas de milho!
Beijos da titia Marcella Leal ;*

2 Tensos passaram por aqui.:

Calem-se Dedos ! disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK'
ela é uma pessoa boa realizando os sonhos alheios :D
relaxa florzinha,meus textos são bem mais pervertidos do que o seu õ//

beeeijo :*

Ariel Augusto ( Japa ;P ) disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Que todos tenhamos nossos sonhos realizados ^^