quarta-feira, 31 de março de 2010

A Profecia

Zé era um feirante.

Ninguém sabia se seu nome era José Maria, apenas José, ou até mesmo Gumercindo, acontece que ele era feirante, então se chamava Zé. Zé da Feira, aliás.

Nosso amigo, vendia repolho na feira, sabe como é, feira hoje em dia tem de tudo, você vai lá e pode comprar desde um acarajé até um playstation 3, mas Zé que era oldscool vendia repolho.

Feira é uma desgraça, vida de feirante pior ainda. Zé começou nessa vida quando moleque, aprendeu com o pai e não conseguiu sair mais dela, por isso pegava tanto no pé do filho Zézinho quando o assunto era estudo.

Colocou o filho em uma bela escola integral da elite, onde só haviam Maurincinhos de Ipod, nem Zé sabia como conseguia pagar, mas conseguia, mas, infelizmente Zézinho não curtia muito a idéia de estudar.

Brigava, xingava, bagunçava, tirava zero e era espancado pelos irmãos mais velhos dos Mauricinhos.

Até que um dia, pertos das sete da noite, hora em que Zézinho chegava e que Zé se preparava para dormir para acordar na madrugada do dia seguinte para enfim poder vender repolho, Zé teve uma má notícia.

“Como assim expulso moleque filho da puta?”

“Ah, pai, aquele professor é um cusão!”

“Não fala palavrão dentro de casa! E agora me fala o que aconteceu”

“Ah, é que é assim. Eu tinha aula de física né, mas esqueci os livros…”

“Ora seeu” Zé ja foi erguendo o chinelo pra ensinar uma lição para seu filho vagabundo, mas ele foi mais rápido.

“ESPERA PAI! Deixe-me contar o resto. Ai o professor me perguntou com aquela de filho da puta ‘Cadê seus livros?’ ai eu fiquei com medo, né pai, e falei a primeira coisa que me veio a mente ‘Professor, entrou um gnomo aqui na sala e roubou todos os livros de física e ainda mandou eu te falar que você ta precisando é de sexo.’ E ele ficou super nervoso e me levou pra supervisão, ai eles me expulsaram porque não gostam de mim, e você sabe disso né pai”

“Gnomo, é?”

Zé saiu assustado da sala, com um olhar frio. E entendeu que o Grande Dia finalmente tinha chegado.

No outro dia, na feira, Zé levou apenas repolhos podres, que, caso você não saiba, é a comida preferida dos gnomos brasileiros. E lá então finalmente fez contato com aqueles que há muito não via.

E descobriu que a hora não era aquela, e que seu filho não tinha falado com gnomo algum na escola, logo, o Grande Dia não era aquele e a profecia não tinha se concretizado.

É claro que ficou irado com seu filho, e o destroçou quando chegou em casa, colocando-o um mês e meio de castigo.

E mais claro ainda que os gnomos haviam mentido o tempo todo, nunca fariam contato com o filho de Zé, eles queriam é saber dos repolhos, isso sim.

***

Tema da Jacky: Futuro pós-apocalíptico

Frase: “Como assim água?”

4 Tensos passaram por aqui.:

Marcella Leal. disse...

Nossa... vocÊ conseguiu transformar meu tema ridiculo em uma história logica, pago um pau pra vc Henrique...

COMO ASSIM AGUA?

Gabi Petrucci disse...

HSDIAUHDISAHDUISAUID
Isso me lembrou uma paródia que eu e a Paloma fizemos de "I can see clearly now".
Claro, gnomos brasileiros, mas assim, fiquei curiosa, qual seria a "promessa" dos gnomos pro Zé?

Júlia e Rafaella disse...

Seu Zé da Feira até que foi bonzinho, só por causa que eu não tirei nota na prova eu fiquei tre meses de castigo hm'
quem dirá um dia se eu for expulsa

O movimento é beeem tenso disse...

jacky :

poha' paguei um pau ;O
UIOAEUOIAUEOAIUEAOIUEAOIEUAE
euri mto'
õ/