quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Reino de Persephones

       Oi, eu não sou o Ariel, deu uns probleiminas tecnicos nessa semana e exclusivamente hoje estou aqui na quarta... (como se alguém lesse esse blog)


       Nas profundidades do Oceano Pacifico, havia uma terra perdida e esquecida pela humanidade por muito tempo, era conhecida como Persephones e habitada por uma realeza de sereias. Há anos, quando os primeiros reis governaram essas terras aquáticas, haviam dois irmãos, Cauã e Cauê, que lutaram pelo poder após a morte do seu pai, não chegando a nenhum acordo, as terras foram dividas por uma fronteira bem delimitada e os descendentes de reis diferentes jamais puderam se relacionar ou atravessar a fronteira #momento Crepúsculo.

          Anos depois, na véspera do aniversário de dois anos de sua primeira filha, a princesa Scarlette, descendente do rei Cauã, cruzou as fronteiras acidentalmente para colher perolas com as quais presentearia sua linda filha, Annabel. Quando foi vista pela feiticeira de cauda preta e cabelos desgrenhados, uma terrível maldição foi jogada em cima de sua filha e do reino de seu pai.
        - Cairás sobre a terra do rei Cauã, a escuridão e as trevas que somente poderá ser libertada com a força da princesa filha, que hoje eu condeno à vida terrestre, podendo retornar a esse reino apenas quando encontrar o amor verdadeiro que as mulheres terrenas desconhecem. (risada maquiavélica dos filmes da Disney).
        - Não, ô terrível feiticeira, não castigues a minha filha pelos meus erros!- Scarlette implorava, mas suas súplicas foram em vão e Annabel foi mandada ainda nenê a um orfanato da terra, sua cauda lilás e turquesa substituída por inúteis pernas, seus poderes e conhecimentos sobre o mundo de Persephones retirados.
        Annabel cresceu comendo do pão que o diabo amassou, dormindo em camas frias e sem a proteção dos pais que tanto lhe amavam, cuja única lembrança que tinha era um colar de belas perolas, sentia calor exagerado e era atraída pela água, as outras crianças a estranhavam e ela sempre teve poucos amigos.
          Quando completou dezesseis anos, conheceu Nathanael, um belo rapaz de olhos escuros e pele clara que trabalhava como voluntario no orfanato, levando um pouco do seu sorriso belo e estonteante às criancinhas. Entre os dois, foi crescendo uma admiração imensa e com o tempo eles começaram a se gostar cada vez mais, saíram várias vezes antes que o seu primeiro beijo fosse dado em baixo de uma chuva de verão. Com os anos, o sentimento deles foi crescendo, até o dia em que Nathanael disse:
        - Annabel, te conheci ainda menina e hoje, quatro anos depois, não vejo mais porquê esperarmos para isso. – ele se ajoelhou – Eu te amo, você aceita casar comigo?- As lágrimas de felicidade desciam pelo rosto dela.
       - Aceito, eu te amo.-
       Quando isso aconteceu, a cor escurecida das águas do reino de Cauã foram novamente substituídas pelo azul claro e límpido, as algas retornaram a sua cor verde e os peixes voltarão a nadar em perfeita harmonia com as sereias, que agora celebravam o amor de Annabel. Scarlette, ao perceber o acontecido, logo concluiu o que tinha acontecido e correu ao encontro da feiticeira.
        - O amor verdadeiro aconteceu, agora, liberte a minha filha e traga-a de volta para os meus braços.-
        - Trazer Annabel de volta, você tem certeza?- a feiticeira perguntou com estrondosa risada.
        - Mas é claro, o lugar de Annabel sempre foi em Persephones ao meu lado e você prometeu, que quando ela amasse de verdade, poderia retornar as águas.-
        - Ô sereia tola, Annabel vai se casar. Você acha mesmo que ela vai querer voltar?-
         Scarlette então percebeu que foi enganada, mas resolveu ir à terra e encontrar a sua filha.
         Annabel e Nathanel quase não acreditaram na história, mas Scarlette conseguiu provar para os dois o que tinha acontecido.
         - Mãe, não posso voltar, estou grávida.- Annabel disse.
         -GRAVIDA?- Scarlette e Nathanael exclaram. – E esse absorvente cheio de formigas ali no lixo do banheiro, é o quê, ketchup?-
            -É amor, eu tive desejo de comer absorvente com ketchup, mas depois tive ânsia de vomito e joguei ele fora. – Nathanael faz cara de nojinho, mas Scarlette explica que isso é normal entre as sereias.
         - Então mãe, não posso voltar.-
          - O problema é que a sua filha não pode nascer aqui, ela não vai conseguir respirar fora da água, mesmo sendo metade humana, ela só vai conseguir viver na terra e na água depois de certa idade.- Scarlette explica.
          - E não tem como me transformar em “sereio”, o aluguel do apartamento ta caro mesmo, a gente mora lá!- Os olhos deles brilharam, Nathanael foi transformado em sereio, a filha dele com Annabel nasceu e se casou com o filho da princesa do reino de Cauê, acabando com a fronteira, o que fez com que a velha feiticeira ficasse sem ter o que fazer e ela começou a vender tubarão quente na carrocinha, e eles viveram felizes para sempre.


                                          Beijos minhas espigas de milho,
                                                        Marcella leal






Tema da  Alice: Dinossauros

Frase da Alice : É tempo de acasalamento dos passarinhos?


1 Tensos passaram por aqui.:

Jessi disse...

tava tao romantico e no final foi tao louco, mas ta legal sim USHAUSHAU :*